Saúde

Encontrar felicidade e alegria em qualquer circunstância, com o Dr. Rick Hanson

Os benefícios de otimizar seu sono, com Dr. Kirk Parsley
cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br


Neste episódio, discutimos:

  • A chamada de ativação do COVID-19
  • Três etapas para enfrentar a crise
  • Escolhendo cuidar e fazer amizade
  • Como mudar para uma experiência mais calma e centrada
  • Por que você lata experimentar felicidade e alegria em um momento como este
  • Novo livro de Hanson

Mostrar notas:

  • Resiliente, Felicidade, Cérebro de Buda, Só uma coisae Mãe Nutrir, pelo Dr. Rick Hanson
  • “Como ‘Felicidade com fios’, com o Dr. Rick Hanson”, Chris Kresser
  • “ADAPTAÇÃO: Criando saúde e alegria diante da incerteza e do desafio”, Chris Kresser
  • Novos recursos de coronavírus (COVID-19), Chris Kresser
  • Neurodharma: Nova Ciência, Sabedoria Antiga e Sete Práticas da Mais Alta FelicidadeDr. Rick Hanson
  • Programa online Neurodharma
  • RickHanson.net

Olá pessoal, Chris Kresser aqui. Bem-vindo a outro episódio da Revolution Health Radio. Nesta semana, estou animado em receber de volta como convidado Rick Hanson, PhD, psicólogo, membro sênior do Greater Good Science Center da UC Berkeley e New York Times autor best-seller. Os livros de Rick incluem Resiliente, Felicidade, Cérebro de Buda, Só uma coisae Mãe Nutrire ele é psicólogo [who] concentra-se na neurociência da felicidade e do bem-estar.

Ele é fundador do Instituto Wellspring de Neurociência e Sabedoria Contemplativa e foi palestrante em Oxford, Stanford, Harvard e outras grandes universidades do mundo e ensinou em centros de meditação em todo o mundo.

Então, na primeira entrevista, conversei com Rick sobre a felicidade dos fios, o que isso significa e o cultivo de mais resiliência. E esses são, obviamente, tópicos sempre relevantes, mas são ainda mais oportunos agora durante a crise do COVID-19. Então, eu queria trazer Rick de volta para falar sobre como podemos usar essas ferramentas muito práticas para desenvolver uma capacidade de responder às adversidades e não apenas sobreviver às adversidades, mas também prosperar durante esse período. Então, sem mais delongas, vamos mergulhar.

Chris Kresser: Rick, é um prazer tê-lo de volta ao programa.

Rick Hanson: Bem, Chris, quando começamos, como eu disse, eu acabei de ver você e me senti instantaneamente feliz e conectado. Então, eu estou muito feliz por estar aqui também. É uma honra, na verdade,

A chamada de ativação COVID-19

Chris Kresser: Eu me sinto da mesma forma. E estávamos conversando antes de apertar o botão “gravar” sobre um tipo de aspecto peculiar do COVID, que é o seguinte: em nosso primeiro podcast que fizemos juntos, conversamos sobre por que é tão importante cultivar a resiliência e atrair a felicidade, para usar seu frase. Porque na vida, mesmo antes da COVID, sempre há incerteza, sempre há coisas sobre as quais não temos controle, e há [are] sempre desafia e até tragédia e catástrofe. E então, nesse contexto, temos que cultivar ativamente a resiliência. Isso não acontece por si só. Temos que buscar ativamente práticas que levem à felicidade.

Rick Hanson: Exatamente.

Chris Kresser: Quando refleti sobre o COVID, é claro que os níveis de incerteza aumentaram, mas não é como se a incerteza não existisse antes. Para mim, parece que a COVID levantou o véu e tornou nossa falta de controle e incerteza e o medo que enfrentamos muito mais óbvios.

Rick Hanson: Sim. Uma maneira de experimentar isso é que, antes da aterrissagem da COVID, antes da tempestade, que agora está sobre nós, realmente caindo sobre nossas cabeças, todos nós estávamos apoiados pelas configurações em que estávamos, pelas atividades que estávamos fazendo, pelos interações que estávamos tendo e o fluxo de experiências que estávamos tendo. E então, enquanto a música estava tocando, tudo parecia tão bom, certo? O sol estava brilhando, [and] está tudo bem.

Mas então, quando o fundo de repente cai sob seus pés, você fica com o que quer que seja que você cresceu dentro de si e também se desenvolveu nos seus relacionamentos mais importantes. E eu, para mim, um dos grandes ensinamentos dessa época é, como você está dizendo, um profundo alerta sobre a importância do desenvolvimento pessoal e do investimento, investindo em nossos próprios corpos, investindo em nossas próprias mentes, investindo em nossos relacionamentos importantes e, obviamente, no nível de políticas públicas, investindo em sistemas públicos de saúde, por exemplo.

Chris Kresser: Sim, eu não poderia concordar mais. E um argumento semelhante para mim é que este é um alerta em muitas áreas diferentes, todas as que você mencionou. E há uma maneira pela qual, quando estamos vivendo nossas vidas normais, acho que podemos, existe uma ilusão de controle total que pode ocorrer onde realmente parece que estamos dirigindo o show. Estamos dirigindo o navio e temos uma espécie de agência e controle completos sobre o que acontece em nossa vida. E não há dúvida de que temos algum controle, e não estou dizendo que não somos responsáveis ​​pelo que acontece em nossa vida, no sentido de que somos capazes de responder. Mas o que realmente me impressionou sobre isso é que as capacidades que estamos sendo convidados a desenvolver agora, durante essa epidemia de COVID, são exatamente os mesmos que nos ajudam a prosperar na vida cotidiana, o que quer que isso signifique para as pessoas.

Então, vamos falar um pouco mais sobre algumas dessas capacidades. Você fala com muitas pessoas, ensina, lidera aulas e retiros, e tenho certeza de que está ouvindo muitos alunos e pessoas com quem interage sobre o que estão enfrentando. Então, quais são suas principais abordagens ou recomendações neste momento para ajudar as pessoas a enfrentar essa crise?

Você tem a liberdade de determinar como responde ao COVID-19. Confira este episódio do RHR por três etapas para ajudá-lo a enfrentar qualquer tempestade e encontrar uma maneira de prosperar. #healthylifestyle #chriskresser

Três etapas para enfrentar a crise

Rick Hanson: Bem, quero sublinhar o que você acabou de dizer lá, Chris. É super profundo e muito profundo. Exatamente as mesmas qualidades que estamos tentando desenvolver em nós mesmos no corpo e na mente. Sou psicologa, [and] Eu tendem a me concentrar na mente. Você tende a se concentrar mais no corpo. E, no entanto, nós dois nos concentramos em como eles se entrelaçam, o processo mente-corpo realmente. E isso se torna uma questão de tipo de intervenção prática em que você intervém em um propósito, mas esse é um sistema unificado, obviamente. E da mesma maneira que os tipos de coisas que queremos desenvolver para os mais altos níveis de saúde física ou os mais altos níveis de saúde mental são exatamente o que precisamos quando somos mergulhados nos domínios mais baixos da vida ou morte. lidar com o dia-a-dia. E isso é realmente uma visão profunda.

O que vejo é que, tenho este livro publicado, e penso repetidamente sobre essas sete qualidades fundamentais de firmeza da mente, amor em seu coração, equanimidade, equilíbrio emocional, três, e depois a sensação de ser todo, no presente, a atualidade, ligada a tudo com alguma intuição realmente de mistério, atemporalidade, eternidade. E essas são qualidades que, é claro, as pessoas desenvolvem à medida que se interessam nos alcances superiores, no terço superior, no décimo superior do potencial humano. E, no entanto, uau, dia a dia, tendo uma certa estabilidade mental subjacente, tendo compaixão por si e pelos outros, mesmo aqueles que o assustam.

Chris Kresser: Especialmente aqueles, certo?

Rick Hanson: Sim Sim. Esse é um dos maiores desafios.

Chris Kresser: … prática.

1. Encontre o seu pé

Rick Hanson: Sim. Essa é a vantagem, certo? Para falar, defender-se corajosamente sem deixar o ódio entrar em seu coração. Essas são coisas realmente importantes. Talvez nós acabemos conversando sobre eles. Vou destacar alguns que realmente se destacam para mim ultimamente. Então, realmente tipo de três. Primeiro, da minha própria experiência em áreas selvagens e de vida ou morte, primeiro encontre seu pé. Direita? Existem muitas incertezas, existem coisas que estão fora de controle, há mensagens confusas, [and] ameaças potencialmente letais para os outros, se não para nós mesmos. Encontre o seu pé. Isso é realmente importante. Ouça os especialistas. Não se distraia com o barulho ao redor de tudo. O que dizem os cientistas? O que dizem os especialistas em saúde pública? O que pessoas como você dizem? Encontre o seu pé.

2. Calma e Centro

Segundo, calmo e central. Direita? Penso no título deste livro que li sobre sobrevivência no deserto há pouco tempo, quem vive, quem morre, para ser franco, e as pessoas que vivem são geralmente as que se acalmam e se centram. Eles acalmam o corpo, e há coisas sobre as quais posso falar que fazem isso imediatamente, baseadas em evidências, que acalmam o corpo; eles se centram, [and] eles estabelecem uma espécie de base segura no interior a partir da qual se movem.

3. Cuidar e Amizade

E depois terceiro, cuidar e fazer amizade. É uma ótima frase; você já deve saber.

Chris Kresser: Sim absolutamente. Ocitocina.

Rick Hanson: Sim, o trabalho de Shelley Taylor, [from] UCLA, diferentes maneiras de gerenciar o estresse, não apenas lutando, fugindo e congelando, mas cuidando e fazendo amizade. Aproveitando a ocitocina, percebendo que os outros também têm medo. Enfatizando o cuidado com os outros. Estamos nisso juntos, obviamente, e fazendo amizade, certo? E ser como você e eu quando começamos a conversar hoje. Nós poderíamos ter sido superficialmente educados e tipo, como você está, cara? Como vai você? Ótimo, siga em frente. Mas nós dois entramos. E eu acho que não sei se teríamos entrado, desse tipo honesto, autêntico e um pouco vulnerável, seis meses atrás. Poderia ter sido mais automático, porque nós podíamos fazer isso, certo? Quando a música estava tocando, certo?

Chris Kresser: Está certo. É tentador passar por cima disso.

Rick Hanson: Mas agora, precisamos realmente fazer amizade e apreciar um ao outro. Então esses são os três grandes que se destacam para mim. Encontre o seu pé.

Chris Kresser: Sim, eu amo aqueles.

Rick Hanson: Sim Sim.

Chris Kresser: Sim, encontre o seu pé. Qual foi o segundo?

Rick Hanson: Calma e centro.

Escolhendo cuidar e fazer amizade

Chris Kresser: Calma e centro, é claro, e cuidar e fazer amizade. Sim. Esses são fenomenais. E acho que poderíamos passar o resto do programa facilmente falando sobre estratégias específicas para executar cada uma delas. Vamos começar com cuidar e fazer amizade, porque isso estava realmente fresco em minha mente. Na verdade, acabei de escrever um e-mail hoje de manhã que ainda não foi enviado. Eu acho que vai sair daqui a alguns dias a partir de quando estamos gravando isso.

Mas é sobre, quero dizer, que eu conheço essa pesquisa há algum tempo, mas me deparei com ela novamente. É sobre como estar em serviço e ajudar os outros, o que, é claro, é valioso e vale a pena fazer por si só, mas muitas pesquisas sobre resiliência mostraram que ter um senso de propósito e ajudar os outros também ajuda a enfrentar uma crise.

Rick Hanson: Sim.

Chris Kresser: E isso tem um forte impacto em nosso próprio bem-estar. Houve um estudo com mais de 800 pessoas em Detroit que constatou que eventos estressantes eram muito mais prejudiciais para pessoas que são menos úteis para outras pessoas. Existem estudos em que um senso de propósito prolonga sua vida útil e pode até fazer coisas como melhorar sua estabilidade financeira. Então este é um ganha-ganha, certo?

Leia Também  Jen Hyde, fevereiro de 2020 - East West School of Planetary Herbology

Rick Hanson: Sim.

Chris Kresser: Onde podemos ajudar outras pessoas e fornecer um serviço valioso dessa maneira e ajudar nossa comunidade a responder, mas isso também contribuirá para nossa própria resiliência.

Rick Hanson: Ah, é realmente verdade, e onde isso aparece, acho que a natureza dessa época é que estamos fazendo isolamento social, abrigando-nos no local em prol do bem maior, obviamente, assim como a nós mesmos. OK. E assim, estamos gastando menos tempo com pessoas com quem realmente gostamos, e nos aproximamos, hora após hora, dia após dia, de pessoas que podemos amar, mas depois de um tempo pode nos irritar.

E uma das coisas que eu realmente comecei a praticar com mais intensidade é esse sentimento de desistir dessa discussão. Desvinculando do atrito. Saindo da contenciosidade mais rapidamente. Sem atrito com outras pessoas. E, novamente, quando éramos todos, estava tudo bem e a música tocava e assim por diante, tudo bem, você poderia entender, poderia entrar em uma certa discussão ou certa posição em sua mente ou em um certo caso justo com os outros. Mas quando a tempestade está chegando, simplesmente não podemos pagar essas coisas.

E assim, essa pequena prática de apenas deixar passar. Não importa. Eles também estão sofrendo. Está bem. Ilumine-se. Não [walking] em casca de ovo, não [turning] em um marshmallow, mas apenas no nível mais simples, sair da controvérsia é uma ótima prática.

Chris Kresser: Eu amo isso. Eu tentei focar nisso como pai. Obviamente, existem muitas oportunidades para a prática como pai ou mãe. Francamente, acho que ser pai para mim é pelo menos a prática mais poderosa, transformadora e desafiadora de todas.

Rick Hanson: Sim, o mesmo aqui, cara.

Chris Kresser: Eu posso fazer uma meditação de 30 dias, sentar, sem problemas.

Rick Hanson: Sim.

Chris Kresser: Mas me coloque em um quarto e me dê uma parede para encarar por 30 dias, estou feliz.

Rick Hanson: Está certo.

Chris Kresser: Quero dizer, claro, é difícil. Há coisas difíceis sobre isso. Mas mantendo esse nível de consciência consciente e não, e sendo capaz de testemunhar minhas respostas emocionais e não reagir a partir desse lugar, não há nada que desafie isso mais para mim do que como pai. E então eu amo esse conselho ou esse conselho, de certo modo, escolhendo suas batalhas e assistindo. Para mim, eu acabei de assistir, tipo, se eu começar a entrar em algum tipo de luta pelo poder com minha filha, tipo, qual é a importância disso no esquema das coisas agora? E as crises têm uma maneira de esclarecer isso, certo? Onde coisas que pareciam importantes antes podem não ser mais tão importantes?

Rick Hanson: Sim. Sim, tenho refletido sobre perdas e ganhos. Por exemplo, nosso filho vive conosco há alguns anos. Ele meio que usou nossa casa como acampamento base a partir do qual ele se lança no mundo. Ele é um dançarino semi-profissional, professor, mestre de cerimônias, DJ, [and] realiza muito grandes eventos de swing e é uma comunidade real, além de gerenciar nossos próprios podcasts. Então ele se mudou há algumas semanas para ter uma vida social mais normal, incluindo poder ver sua namorada. E foi uma perda. Realmente atingiu meu coração fortemente, por um lado.

Por outro lado, ganho. Nossa filha voltou de Nova York depois de quase certamente ter tido isso. E isso é um ganho. E assim somos perdas e ganhos misturados e tenho refletido muito sobre como as incertezas deste tempo, a turbulência, o fundo caindo, as perdas trazem nossa atenção para o que não pode ser perdido. Pode ser encontrado, mas nunca pode ser perdido, certo? Esse campo subjacente, terreno. Não quero dizer isso de uma maneira woo-woo ou mística. Quero dizer, como você e sua filha, certo? Ou minha esposa e eu, digamos, no nível da superfície, pode haver uma espécie de onda de micro brigas ou algo do tipo … eu tenho rido de mim ultimamente. Estou tentando me tornar irredutível. Você sabe, irk?

Chris Kresser: Direita.

Rick Hanson: Parece Orc. Eu gosto disso, porque sou um Senhor dos Anéis viciado e ser irritado. É tão fácil ficar irritado hoje em dia. Há muito sobre isso, que é meio cansativo. E, no entanto, podemos cultivar corpo e mente, equanimidade e assim por diante, o que nos ajuda a ser cada vez mais irritáveis. Então, de qualquer forma, aqui estamos nós, estamos sendo irritados, digamos com nossa filha ou nossa esposa ou algo assim. E, no entanto, por baixo de tudo, vocês sabem que se amam. Há um campo subjacente de relacionamento; não pode ser perdido. Pode ser intuitivo, pode ser encontrado, mas nunca pode ser perdido. Direita? E penso em outros aspectos do que é durável, do que é duradouro, que podemos estar cientes de dentro de nós mesmos e nos refugiarmos, nos posicionarmos, extrairmos forças, nos afastarmos. É um material muito, muito profundo, para o qual cada vez mais descansar na consciência.

Chris Kresser: Sim, eu amo o seu ponto de vista sobre o que não podemos perder, o terreno que não podemos perder. E isso, é claro, você pode interpretar isso através de uma lente woo-woo.

Rick Hanson: Sim.

Chris Kresser: Mas, na verdade, é relativamente direto e é um conceito tremendamente fortalecedor, penso para mim, quando eu realmente entendi isso de uma maneira profunda. Há uma citação de Viktor Frankl, que tenho certeza de que você ouviu, que compartilhei recentemente em algum lugar. Tudo fica confuso. Um vídeo do Instagram, e-mail, qualquer que seja.

Rick Hanson: Sim.

Chris Kresser: “Tudo pode ser retirado de um homem, mas uma coisa, a última das liberdades humanas – escolher a atitude de alguém em um determinado conjunto de circunstâncias, escolher o próprio caminho”.

Rick Hanson: Sim.

Chris Kresser: Então é sobre isso que estamos falando aqui. Para que possamos, mesmo quando não temos controle sobre as circunstâncias, das quais todos estamos cientes agora, temos controle sobre a maneira como reagimos a essas circunstâncias.

Rick Hanson: Sim exatamente. Assim, a liberdade de escolha inerente, a liberdade existencial, não pode ser perdida, certo? A consciência, apenas a consciência como um campo que pode representar qualquer coisa. Por si só, é sempre estável, mesmo que a mudança de experiências se mova através dele ou o bom coração subjacente. Direita? Eu acho que isso também é uma coisa muito importante a ser tomada como recurso psicológico. Sou psicólogo, psicoterapeuta de longa data e esse sentimento de sua própria bondade natural e inerente. Isso não significa que temos que ser santos ou não vamos estragar tudo. Mas por baixo de tudo, há um bom coração lá, certo?

Chris Kresser: Sim.

Rick Hanson: Tipo, é tão estranho. Podemos ver que outras pessoas são boas [people], certo? Você conhece alguém por três minutos em uma festa ou o que quer que seja, e percebe: “Whoa, essa pessoa é basicamente uma boa pessoa”. Boa pessoa. E, no entanto, é tão difícil reconhecer isso sobre nós mesmos e, no entanto, é realmente verdade. Nossas boas intenções não podem ser perdidas, nossa sinceridade subjacente é fundamental aqui no fundo. Portanto, essas não são coisas de woo-woo. Estes são muito reais, e sim.

Chris Kresser: E muito prático também, certo?

Rick Hanson: Sim.

Chris Kresser: Uma das minhas professoras, Cheri Huber, costumava dizer: “Se nos tratássemos do jeito”, ou “se um amigo nos tratasse do jeito que nos tratamos, teríamos[ten] se livrar desse amigo há muito tempo.

Rick Hanson: Sim.

Chris Kresser: Eu amo essa citação porque é tão verdade, certo? Estamos dispostos a tolerar o diálogo interno, o julgamento, a culpa e a vergonha que surgem internamente, em nosso próprio diálogo interno que jamais toleraríamos de outra pessoa em nossa vida, ou pelo menos espero que não.

Rick Hanson: Cem por cento. Uau, isso é muito bom.

Como mudar para uma experiência mais calma e centralizada

Chris Kresser: Então, eu quero falar um pouco sobre calma e centro, porque, de certa forma, algumas das outras coisas sobre as quais estamos falando não são realmente possíveis sem calma e centro. Não consigo perceber minha resposta emocional a algo que minha filha faz e, em seguida, fazer uma escolha diferente em termos de como eu respondo a ela. Não posso realmente abraçar essa citação de Viktor Frankl de ter a liberdade de escolher como responder, a menos que esteja centrado o suficiente e até ciente do que está acontecendo, de como estou reagindo para poder fazer uma escolha diferente. Por isso, sempre enfatizei que esse é o ponto de partida, porque sem essa consciência, não temos essa liberdade. Ainda estamos presos e limitados e realmente somos apenas vítimas de nosso próprio cérebro interno de lagarto, humano conectado ou, digamos, conectado porque há alguma influência que temos lá. Mas estamos apenas agindo de acordo com nossa programação biológica, certo?

Então, o que você está aconselhando as pessoas [to do] agora? É claro que falamos muito sobre prática de atenção e meditação, mas o que é relativamente acessível que as pessoas podem fazer para começar a avançar mais em direção a essa experiência calma e centralizada?

Rick Hanson: Totalmente central, fundamental. E imediatamente, penso em situações nas quais estou nas montanhas, escaladas ou o que for, e as coisas estão começando a dar errado. Em primeiro lugar, você precisa se acalmar e se centrar, precisa se estabilizar, certo? E então você sai de lá. Então, algumas coisas baseadas em pesquisas que eu falo para as pessoas, e eu as faço rotineiramente, mencionarei apenas algumas. Aposto que você está familiarizado com muitos. Vou tentar inventar uma que você talvez não tenha ouvido falar. Vamos ver se eu posso ter sucesso nisso. Então, e está no meu livro. Então ai [are] estudos por trás disso.

Primeiro, obviamente, exalações longas, trabalhando o ramo parassimpático do sistema nervoso, pelo menos uma respiração na qual a expiração é mais longa que a inalação. Imediatamente, as pessoas perceberão um efeito. [After] duas ou três pessoas seguidas, você notará um efeito. Vou lhe contar um pouco de prática que comecei a ensinar as pessoas a fazer. Eu chamo de prática de três respirações:

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br
  1. Basicamente, na primeira respiração, você sente seu peito como um todo.
  2. Na segunda respiração, você sente a respiração na área do peito, lembrando alguém de quem gosta. Você gosta deles, talvez você os ame.
  3. E então, na terceira respiração, novamente, sentindo o peito como um todo enquanto você respira, você descansa no sentido de alguém que gosta de você. Mantendo tudo muito simples, concentrando-se nos sentimentos, não no filme ou na história sobre tudo.

Essas três respirações são realmente eficazes e, como você mencionou anteriormente com ocitocina e assim por diante, assim que começamos a nos engajar, esse tipo de consciência do corpo enquanto respiramos, a variabilidade da frequência cardíaca está melhorando, os fluxos de oxitocina estão melhorando, [and] existem receptores de ocitocina na amígdala que são inibidores em seus efeitos. Portanto, como temos esse sentimento de cuidado humano comum, amizade, talvez compaixão, talvez uma bondade amorosa, apenas cuidado humano comum, que tem um fato naturalmente calmante e centralizador. Então esses são bons. E aquele que você talvez não saiba. Embora você provavelmente já tenha, eu apenas direi isso, assim que tivermos uma noção das coisas como um todo, do corpo como um todo. Portanto, a prática das três respirações tem basicamente três coisas tecidas que são eficazes; a consciência sensorial interna, através da percepção das sensações respiratórias, acalma a atividade verbal, portanto, uma conversa interna menos estressante.

Leia Também  Geralmente nunca é apenas uma coisa - Naturopathic Doctor News and Review

[It] também nos puxa para fora da rede de modo padrão, onde tendemos a refletir e a nos perder no futuro e no passado. Então, apenas essa consciência sensorial nos leva ao momento. E é calmante e centralizador. E então, segundo, a sinceridade disso tem os efeitos que eu disse. E terceiro, o sentido das coisas como um todo, seu corpo inteiro ou a sala inteira diminui a atividade nessas redes neurais da linha média que estão envolvidas quando estamos estressados, motivados ou ruminando negativamente e ativando redes nos lados do cérebro, especialmente do lado direito para pessoas destras, mude para canhotos, porque esse lado do cérebro, o hemisfério direito, está envolvido no processamento holístico da Gestalt. Portanto, quando percebemos as coisas como um todo, essas redes do lado direito do cérebro são ativadas, o que nos leva ao presente e reduz o senso de si. Menos senso de levar as coisas para o lado pessoal, menos possessividade, menos justiça própria e tudo isso tem um efeito maravilhosamente calmante e centralizador.

Chris Kresser: Amo isso.

Rick Hanson: O que você acha?

Chris Kresser: Sim, eu amo isso. Eu amo todas essas práticas. E acho que sim, o que eu mais gosto neles é que eles são tão acessíveis e fáceis para alguém começar a fazer imediatamente.

Rick Hanson: Sim.

Chris Kresser: Obviamente, a prática mais formal da atenção plena é algo que recomendamos e fazemos por muitos, muitos anos, décadas. E assim, se você é capaz de fazer isso, e aí [are] tantas maneiras diferentes de focar nisso e aprender isso agora. Mas eu gosto de oferecer, especialmente agora, quando as pessoas estão realmente sobrecarregadas e sobrecarregadas, apenas alguns pontos de entrada rápidos e fáceis nesse tipo de prática.

Rick Hanson: Vou mencionar mais uma, que é, para mim, extremamente útil. É preciso um momento, literalmente, como alguns segundos de respiração, para sintonizar a sensação de força dentro de si. E talvez isso advenha de fazer exercícios onde você apenas pressiona algo fisicamente ou para eu estar no deserto, fora da trilha, apenas aquela sensação no corpo de ser determinado, potente e capaz. Ou talvez tenha mais senso de apenas determinação ou resistência, incluindo talvez cuidar de outras pessoas. Seja qual for o acesso, no entanto, você se sintoniza com o sentido corporificado de sua própria força, que é absolutamente central hoje em dia para lidar com os desafios.

Porque, se você pensar bem, a ansiedade tem a ver com uma incompatibilidade entre desafios e recursos, percebidos e reais. Então, você deseja reduzir os desafios reais e também garantir que não os superestime e que catastrofe. Por outro lado, o que vai para a sugestão que estou fazendo aqui, aumentar o senso de recursos, incluindo, por exemplo, entrar em contato com o fato de que você é um personagem difícil, quem quer que seja, sabe o que quero dizer? Você pode suportar. Você pode passar por isso sem um monte de posturas machistas. Você não precisa ser um Navy SEAL e sou respeitoso aqui quando uso esse exemplo para ser alguém que possa suportar. Direita? Todos nós já passamos por tempos difíceis antes. Também podemos passar por esse momento difícil. E entrar em contato com isso é outro aspecto importante da calma e da centralização.

Chris Kresser: Sim absolutamente. Há algumas coisas que algumas vezes eu recomendo às pessoas que estão passando ou experimentando, tipo, adversidades ou dificuldades bastante intensas e elas acham difícil se lembrar de prestar atenção a essas coisas, se você for realmente pego lá dentro, realmente preso nele, pode ser difícil fazer isso. Às vezes, podemos aproveitar algumas das novas tecnologias que temos disponíveis. Muitas pessoas têm relógios inteligentes agora ou carregam um smartphone com eles.

Algo tão simples como definir um lembrete periódico no telefone, ou se você tiver um relógio, ele vibrará, pode ser realmente útil como um, apenas um gatilho para parar e fazer essa prática de três respirações, por exemplo. Assim, você pode definir um lembrete, praticar três respirações e definir outro lembrete por 90 minutos a partir de então. E descobri que, se as pessoas que realmente se sentem como podem, simplesmente não conseguem encontrar o terreno para prestar atenção às coisas, isso pode ser útil.

Rick Hanson: Essa é uma sugestão muito bonita. Absolutamente verdadeiro. Não, por baixo de tudo. Eu estava pensando mais cedo, Chris, sobre algo que você disse, que nisso poderia haver uma sensação realmente útil de voltar para casa. Voltando para casa para nós mesmos. Nosso estado de descanso, o equilíbrio, condição de equilíbrio saudável no corpo e na mente, Eu chamo de zona verde. Essa é a nossa verdadeira natureza. Quando estamos estressados ​​ou perturbados, tendemos a ser perturbados a partir dessa base. E isso pode ser um tipo de falta de moradia crônica interna. Na verdade, pessoas que se sentem quase alienadas do âmago de seu próprio ser, ou elas, é realmente difícil para elas voltar para casa.

E, no entanto, essas práticas simples de sentir seu corpo como um todo, descansando em uma sensação de calor, pelo menos neste momento, você não está morrendo. Neste momento, há ar suficiente para respirar. Você está realmente bem no presente, basicamente tudo bem, agora. Eu chamo de “neste presente”. Esse esforço simples, que leva menos de 30 segundos para ser realizado, realmente, de uma maneira genuína, você pode sentir. E com alguma prática, você pode se sentir mais rápido que isso. Tem esse senso de casa. Direita? Você volta para casa. E penso na citação de Suzuki Roshi, ele diz:

“Iluminação é a sensação de estar em casa.”

Uau. Ou o provérbio de que toda doença está com saudades de casa. Esse é um ensinamento realmente profundo.

Por que você pode Experimente Felicidade e Alegria em um Momento Como Este

Chris Kresser: Sim, sim, essa é uma maneira poderosa de enquadrar, porque a maioria das pessoas sabe o que é esse sentimento, mesmo que não viva lá o tempo todo. Desmistifica. Isso o tira do reino de algo inatingível para algo muito prático e real. E acho que quero falar um pouco sobre isso, porque talvez seja difícil para alguns. Algumas pessoas com quem conversei disseram isso explicitamente ou talvez tenham implícito algo mais que disseram, como: “Como eu poderia estar em casa ou relaxado, calmo ou centrado em um momento como esse? Como eu poderia experimentar felicidade e alegria em um momento como este, quando tantas outras pessoas estão sofrendo e quando estou tão incerto sobre o que o futuro reserva? ” E essas são perguntas totalmente legítimas.

Rick Hanson: Pode apostar.

Chris Kresser: E especialmente na superfície, eles fazem muito sentido. E, no entanto, já li muitos relatos de pessoas nas circunstâncias mais terríveis. Pessoas que viviam em campos de concentração e pessoas que vivem sob condições de genocídio, onde seu grupo étnico está sendo limpo racialmente. Quem, mesmo em meio a essas circunstâncias inimagináveis, muito piores do que a maioria de nós vive agora, ainda conseguiu encontrar paz e até felicidade. Não é isso, eu não estou esterilizando a experiência deles e sugerindo que eles apenas circulassem nessa nuvem de felicidade. Isso é um absurdo. Foram circunstâncias horríveis.

Mas mesmo dentro disso, eles conseguiram encontrar aqueles períodos de calma e centro, e puderam prestar atenção aos pequenos momentos que, como você apontou em seu livro, Felicidade, apenas a sensação do sol em sua pele, ou o sabor do seu chá favorito de manhã ou o contato que você sente com alguém de pele com pele, em sua casa. Ou realmente prestar atenção e trazer toda a sua consciência para os pequenos prazeres da vida é o que faz a diferença em nossa experiência cotidiana.

Então, podemos falar um pouco sobre isso como uma maneira de fechar? Porque eu acho que é tão importante para nós convidar isso para nossas vidas agora e também para ficar bem com isso. Pessoalmente, tive alguns, diria que tive mais momentos de felicidade e bem-aventurança e apreço e gratidão durante as últimas quatro a seis semanas do que tive regularmente antes disso. E de certa forma, é difícil para mim admitir isso por causa do que está acontecendo no mundo no momento. Mas também entendo por que isso é verdade e, na maioria das vezes, não me sinto culpado por isso, porque sei que minha própria sensação de bem-estar, equilíbrio e centralidade e felicidade só servirão a outras pessoas. Não está tirando nada de ninguém.

Rick Hanson: Sim. Bem, eu sinceramente apoio o que você está dizendo. Isso é verdade. Acho que o que você está falando, inclusive com a citação de Viktor Frankl, é essa coisa profundamente importante que é incrivelmente esperançosa, ou seja, mesmo enquanto experimenta, compreensivelmente, estresse, raiva, ansiedade, seja o que for, mesmo enquanto experimenta isso, pode haver uma sensação de que, no âmago de uma pessoa, no âmago de seu ser, através do qual as experiências fluem ou a partir do qual alguém está ciente de suas experiências, nesse núcleo de seu ser pode haver um sentimento subjacente de paz, contentamento e amor, não importa o quão ruim é. E isso está disponível para nós. It helps to practice it one breath at a time. There’s a saying in Tibet, “If you take care of the minutes, the years will take care of themselves.” One minute at a time, one synapse at a time.

We can cultivate that unshakable core deep down inside ourselves, and realize that just because the world is flashing red around us, doesn’t mean necessarily that in the core of our being, we need to go red ourselves. Just to use this as an example, as best we know from the surviving record of the Buddhist teachings, [Buddha] described at one point, his own run up to awakening, his own process. And he said that “Painful, painful feelings arose, but they did not invade my mind and remain.” That’s a crucial distinction. They arise, understandably, [but] they need not invade us. And even if they penetrate, they need not sink roots into us and remain. That’s our deep opportunity. And there are many examples of it around us. Like, I draw on my experience in rock climbing, which is in very hazardous settings. Well, some anxiety around the edges. But in the core of my being was a sense of calm coping, and actually a real scruffy enjoyment of what I was dealing with. And we can see much the same thing.

Leia Também  Mudanças na dieta podem mudar o gosto do açúcar - Naturopathic Doctor News and Review

We can pursue our goals and our ambitions without getting all driven and stressed and attached to the results about it. And we can manage issues in relationships while retaining a fundamental lovingness deep down inside ourselves. We really can do that. And that makes all the difference in the world. And I think the other side of it that you’re getting at is the sense of survivor guilt in a way, to put it in a phrase.

Chris Kresser: Sim.

Rick Hanson: Sim. That somehow, we’re not entitled or allowed to feel good ourselves while others are suffering. And here, too, the classic balance of compassion and equanimity. Where, yeah, we want to open our hearts to let the sorrows of the world land, both because for ourselves, it’s honest and it will be beneficial to ourselves, actually. Sorrow tenderizes the heart, as they say. Well, we also do it for the sake of them out of benevolence and love and Bodhisattva vow, whatever, and service to others.

Like you said at the very beginning, that felt sense of service to others [is] actually a major factor of resilience and well-being when things are at their worst. So we open our heart, while fundamentally allowing it all to wash through. I mean, what comes to mind here is what it was like for me during the last months of my father’s life where there was tremendous stress and bizarreness of all kinds in all ways. And I would debrief with my wife for like an hour as I drove home every day from being with him in the hospital and the larger things around all that, and I started to feel sort of like kelp in the sea. Like wiry strung kelp and yet completely flexible. And the waves would pass through my mind like kelp. And I would feel it passing through. And it would just pass through. And I, as the kelp, as it were, would remain. And to me, that’s the feeling from the inside out of this combination of equanimity and compassion.

Chris Kresser: I love that. I love that analogy. Especially as a lifelong surfer, I can appreciate that one.

Rick Hanson: Oh, yeah.

Dr. Hanson’s New Book

Chris Kresser: Sim. So, Rick, thank you so much for coming back. I’ve really enjoyed our conversation as I always do. And tell us a little bit more about your book that’s coming out I think this week when this podcast is being released, and then where people can learn more about it and pick up a copy.

Rick Hanson: Well, thank you. In a way, we’ve been talking about it all the while.

Chris Kresser: Sure, right.

Rick Hanson: Because it’s really about deep practice, informed by the latest neuroscience. So the question is, what’s the neurological basis for everyday coping and effectiveness as well as the deepest, most durable, most reliable steadiness of mind, love, happiness, and wisdom? So that’s what the book’s about, and it basically reverse engineers people who are very, very far along in practice, to imagine plausibly what’s going on in their brains when they’re arrested in that. Like Viktor Frankl. What in the world was going on in his brain, during the Holocaust in concentration camps, that he could be like that, right? That he could retain that most fundamental of human freedom.

So we can kind of reverse engineer that and then based on that, very plausibly do practices of different kinds. The book’s extremely practical; it’s not a particularly theoretical book. It’s very much about experiential, embodied practice. We can do these practices ourselves that really, really stabilize. I’ve definitely experienced this myself, Chris, honestly. I’m kind of surprised by, as you said, how it is inside. Even though things are crazy outside, right?

Chris Kresser: Sim.

Rick Hanson: I don’t mean that smugly or anything. More like, wow, this stuff works. Who knew?

Chris Kresser: Absolutely, absolutely.

Rick Hanson: My teachers told me it worked, and wow, they’re right. Yeah, it does work right. So that’s what that book is about, and it’s called Neurodharma. For me, “dharma” is an Indian, it’s a word from India. It simply means the truth of things. It’s my nod, in the direction of the world’s perennial wisdom throughout all the traditions of the world. And then the “neuro” speaks to the biological objective, physical underpinnings of our moment-to-moment consciousness. And it’s a culmination book for me. It really summarizes a lot of personal practice, a lot of the coolest neuroscience, the deepest wisdom, the deepest analysis of the mind, and then focused relentlessly in terms of personal practices. So that’s what [the] book’s about. The subtitle summarizes it: “New Science, Ancient Wisdom, and Seven Practices of the Highest Happiness.”

Chris Kresser: I love it and it’s such a, I think we talked about this the first time on our first interview, but I, of course, discuss a lot with my listeners and readers, the mismatch between our genes and our biology in the modern world we’re living in and the context of things like diet and sleep and environmental toxins and physical activity. And what I love about your work is that it approaches this same kind of mismatch, like how our lizard brain and our biological programming are really kind of wired to help us survive in a natural environment, but not necessarily optimally wired for thriving in [the] 21st century industrial world. Especially one that’s now characterized by a global pandemic that is full of uncertainty and loss of control.

And then if we just, in the same way that if we just kind of go with the flow with diet and as a member of industrial society, we’re almost certainly going to end up being physically sick. We’ll become overweight, we’ll develop diseases like diabetes (one in three Americans now have either pre-diabetes or diabetes), [or] we’ll get addicted to technology. That’s just, that’s no fault of will. That’s just acting out our biological programming and as it interfaces with the almost irresistible challenges of the modern world. And you’ve applied that lens to happiness and mental, emotional, and spiritual well-being. And in the same way we have to, it doesn’t just happen on its own, right?

Rick Hanson: That’s right.

Chris Kresser: We have to turn our attention to it. And there are acts that we have to, actions that we have to take. But the good news is that, in the same way that we can short circuit our tendency to seek out processed and refined foods and overcome that, we can also short circuit some of these mental and emotional processes that are kind of our default brain programming. And with the practices that you outline in your books, we can actually overcome that to create more joy and resilience and fortitude in our lives. So I love that science-based approach and also the evolutionary approach theme that goes through your work.

Rick Hanson: Well, thank you very much, Chris. I really appreciate that. And you’re exactly right. And it kind of goes back to where we started. It’s really remarkable that the same qualities that we sort of long to develop in ourselves, we’ve all had a sense of what it was like to be you, right? When you, that time in your life, those times in your life when you felt really at your best. You could just feel it. You’re clicking on all cylinders. In the core of your being was a deep fulfillment and happiness and a generous love for others. You were really in a good zone. Deep wisdom, whatever it was, maybe it was just surfing that way.

Like I’ve never stood on a surfboard. I’ve spent a lot of time in the ocean, though, and it’s just, “Okay, there you are.” Well, we all have a feeling for that and we can even see it in other people. Maybe we’re with a certain person, our kindergarten teacher, or our meditation teacher, and we feel it in their presence. Like, wow, there’s something going on with them, let’s say that we’re drawn toward and we would like to establish increasingly in ourselves. OK. The highest levels, those highest levels of steadiness, lovingness, connectedness, presence of mind, and so forth, are incredibly useful on the job, grinding through emails, working through an issue with a kid that you’re raising or a conflict with your partner. And in this time of madness, I just draw upon every day, these seven qualities that I’m working on myself in the process.

And if I could just put a micro plug in here, if people are interested, I taught a 10-day meditation retreat. I’ve done this a couple of times now, that moved through the seven practices, these Neurodharma practices. And that particular meditation retreat, we videotaped, [and] turned into an online program. It’s very inexpensive. And we always offer it for free to people with significant financial need, hence the Neurodharma online program. And people can check that out, as well. And it’s a great companion for the book, because you can both read it and then you can do the guided meditations and so forth from that program. And the two together are very powerful.

Chris Kresser: Fantastic. Where can people learn more about the retreat?

Rick Hanson: Well, thanks. It’s just all on my website, RickHanson.net, which is also chock full of freely offered resources of many kinds, including specific for this coronavirus period we’re in the middle of right now.

Chris Kresser: Well Rick, thanks again. Always a pleasure.

Rick Hanson: Ditto, Chris.

Chris Kresser: We’ll have you back again sometime. Hopefully, when we’re toward the tail end of this, to talk about how we can integrate the lessons we learned during this pandemic into our, whatever our new reality is at that point.

Rick Hanson: Yeah, definitely. Well, take good care of yourself, too.

Chris Kresser: You, too. All right, thank you. Thanks for listening, everyone. Send in your questions at ChrisKresser.com/podcastquestion. As you’ve probably noted, we haven’t done a Q&A episode in a very long time, but I do use your questions to generate ideas for guests and other topics that we cover on the show. So I appreciate you listening. Stay healthy and sane. I’ll see you next time.



cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *