Dinheiro

De cima para baixo * e * de baixo para cima

51Mcz + Z4MHL._SY344_BO1.204.203.200_
cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br


O apelo de Charles Stafford à Vida Econômica no Mundo Real: Lógica, Emoção e Ética, é que seus colegas antropólogos levem mais a sério as metodologias de duas outras disciplinas, economia e psicologia. Aprendi muito sobre antropologia neste livro, incluindo o quanto os antropólogos desprezam a economia (receio que devolvamos indiferença, no geral).

O argumento de Stafford, em um livro muito interessante e legível, é que as abordagens são complementares: os antropólogos se concentram nos mínimos detalhes, enquanto a economia e a psicologia estão interessadas na generalização do comportamento humano. É intrigante ver esses dois parênteses quando a psicologia – durante a revolução comportamental – foi retratada como uma versão mais realista da escolha do que aquela (assumida) pelos economistas – é claro que os economistas sempre souberam que a versão da escolha racional não é ‘. realista’.

Ele escreve: “Por uma questão de rotina, os antropólogos acusam os economistas de serem obcecados com ‘seletores racionais individuais’, mas certamente são os antropólogos que são obcecados por detalhes”. Há um paradoxo aqui: a economia aplica o individualismo metodológico em geral e ignora facilmente as influências sociais (embora não inteiramente). No entanto, nossa preocupação é com os resultados nos níveis agregado e individual. A economia é certamente universalista. Foi interessante ver a psicologia sendo colocada no mesmo campo, como uma abordagem universalista.

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

O argumento é, portanto, que os antropólogos reconheçam que a psicologia humana está no coração da agência econômica – não se trata apenas do contexto histórico e cultural. Há um bom capítulo analisando os prós e os contras da abordagem de Robert Lucas ao capital humano e ao desenvolvimento econômico, em confronto com a maneira como as pessoas em uma vila de Taiwan pensam sobre a educação de seus filhos. O livro também termina apontando que, embora a antropologia resista à quantificação a todo custo, as pessoas com quem o autor passou algum tempo durante seu trabalho de campo consideraram a numeracia e a quantificação importantes, principalmente para suas vidas econômicas.

Leia Também  O que a curva de felicidade diz sobre o bem-estar do ciclo de vida

Certamente há uma interação entre características humanas gerais e especificidades culturais. Ambas as abordagens são necessárias para uma compreensão arredondada da sociedade. Estou particularmente interessado na possibilidade de métodos qualitativos informarem inferência causal, dado que a identificação empírica de relações estatísticas em sistemas complexos de interações econômicas é praticamente impossível. A identificação precisa vir de fora do modelo, em vez de torturar correlações estatísticas com “instrumentos” duvidosos.

De qualquer forma, gostei de ler este livro e recebi bem o debate antropopo-econômico.

51Mcz + Z4MHL._SY344_BO1.204.203.200_Eu também quase terminei o Frankisstein de Jeanette Winterson, o que é fantástico.

Compartilhar
cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *